Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Agosto, 2016

Jedi Academy: The Phantom Bully

Ah, o que eu dava para ter crescido com estes livros (embora tenha visto pela primeira vez a saga Star Wars há menos de dois anos).

Este é supostamente o último livro da série e eu espero sinceramente que não. Quero continuar a acompanhar as aventuras de Roan e dos seus amigos na dura tarefa que é crescer, ainda por cima com a responsabilidade de crescer para ser um Jedi.
É o último ano do Roan na Jedi Academy (equivalente ao ensino básico), pelo que ele se tem de focar naquilo que vai querer seguir na secundária, enquanto lhe foi alocado como mentor o Jedi de quem ele gosta menos, Mr. Garfield. Fora isso, e pela experiência dos outros livros, tudo parece correr bem até que algo arruina tudo - embora neste livro não seja tudo assim tão mau.
O Cronah arranja um novo aliado e continua a ser terrível, um dos bullies torna-se bom e abandona o dark side, Roan pode contar com uma namorada e com bons amigos, e é a oportunidade de se focar em se tornar piloto, o seu grande sonho.
Isto é ador…

The Thirty-Nine Steps

A base de um aclamado filme do Hitchcock que nunca vi.

A obra começa com um protagonista aborrecido, Richard Hannay, residindo em Londres, pensando em aventuras e em como haverá alternativas mais excitantes no estrangeiro - e a aventura bate-lhe à porta na forma de um vizinho que não passava de um simples conhecido, procurando asilo, envolvido num intrincado esquema de espionagem e política.

Quando o vizinho é misteriosamente assassinado, sendo agora detentor de um segredo que pode causar uma guerra entre Inglaterra e a Alemanha, e apercebendo-se que deve ser a próxima vítima do grupo que cometeu o crime, Hannay foge para a Escócia. Isto soa, obviamente, inverosímil.

I believe everything out of the common. The only thing to distrust is the normal.

É aqui que a obra fica problemática: o livro é muito, muito curto; é uma série de cenas pouco plausíveis envolvendo Hannay a fugir aos seus perseguidores, a mudar de roupa e tornar-se mestre do disfarce, até finalmente voltar para Londres e …

frankly my dear, I don't give a damn

Tenho duas reviews em atraso e dá-me para isto.

Estou actualmente a ler um conhecido clássico, Gone with the Wind, que além de telenovelesco, calhamaço e imortalizado pelo filme com a Vivien Leigh, é um exemplo do popular género literário "Ficção Histórica". Este género é, como o título indica, ficção - porém, é ficção que se enquadra num período histórico, na qual este período é central - além do ambiente, também as morais e valores das personagens devem reflectir as desse período. Note-se, por exemplo, que Scarlett, a protagonista desta obra, é uma rapariga mimada com muitos conflitos sobre o que, enquanto boa rapariga e senhora de respeito, pode ou não fazer, e é bastante racista, o que seria de esperar de alguém a crescer na Georgia rural antes da guerra civil norte-americana.

A propósito de retratar personagens de forma racista, deixo aqui um artigo sobre a tentativa há uns anos de reescrever o Huckleberry Finn sem a "n word" para que pudesse ser ensinado nas…

A relíquia

Ainda não sei o que esperar de Eça.


Teodorico Raposo, o narrador, é um órfão que vai viver com a tia beata e rica, D. Patrocínio, a quem chama de "titi", senhora de idade que usa o seu dinheiro para controlar os que a rodeiam e chama "relaxação" a tudo o que não seja casto e devoto. Teodorico, o "Raposão" é, porém, dado a relaxações, a mulheres, e à ideia de uma vida folgada e sem trabalho. D. Patrocínio patrulha tudo o que se passa na sua casa e tem a chave do quarto do sobrinho. Teodorico pensa que quando a titi morrer será rico. No entanto...

Eu arrisquei outra palavra timida:
- A titi, é verdade, tem-me amizade...
- A titi tem-lhe amizade - atalhou com a boca cheia o magistrado - e você é o seu único parente... Mas a questão é outra, Teodorico. É que você tem um rival.
- Rebento-o! - gritei eu, irresistivelmente, com os olhos em chamas, esmurrando o mármore da mesa.
O moço triste, lá ao fundo, ergueu a face de cima do seu capilé. E o Dr. Margaride reprovo…

I Know Why the Caged Bird Sings

A primeira de uma série de autobiografias de Maya Angelou, sobre a sua infância passada entre o Missouri, o Arkansas e a California.

Nesta autobiografia, Marguerite Johnson, melhor conhecida como Maya Angelou, descreve a sua vida desde os seus três anos até ao nascimento do seu filho, quando tinha 17 anos. É um pouco embaraçoso só estar a ler este livro agora, quando Maya Angelou foi uma pessoa tão inspiradora para tanta gente.

The Black female is assaulted in her tender years by all those common forces of nature at the same time that she is caught in the tripartite crossfire of masculine prejudice, white illogical hate and Black lack of power.

Com três anos, e no seguimento do divórcio dos pais, Marguerite foi enfiada num comboio sozinha com o seu irmão, Bailey, de quatro anos, para viverem com a avó paterna, "Momma", uma senhora de fortes convicções e valores religiosos, dona de uma loja em Stamps, Arkansas, que tentou fazer da vida o melhor que podia para os seus netos e …

statistics

Este post vai desavergonhadamente encher aqui algum espaço enquanto tenho uns quantos posts em atraso (como por exemplo a review do I Know Why the Caged Bird Sings, sobre o qual tenho muito a dizer).
Enquanto toda a gente deve conhecer o GoodReads, muito menos gente conhecerá o LibraryThing. Este último é muito menos social, muito mais catálogo, e utilizo-o desde 2008. Catalogo apenas o que possuo ou me emprestam e leio, não tendo uma wishlist. Gosto muito do seu sistema de recomendações e tem uma parte gira sobre estatísticas e eu, enquanto pessoa que gosta de economia, gosto de gráficos.

Tenho o hábito quiçá estranho de meter o ano original de publicação do livro, que não é o suposto (é suposto ser o ano de publicação da edição) - mas isso mostra-me estes dados e eu gosto de os ver. Os "no date" são colectâneas ou omnibus, que ainda são bastantes.

O LibraryThing tem a função que faz mais falta no GoodReads e no mundo dos ratings, que são as meias estrelas. Daqui retiro qu…

Jedi Academy: Return of the Padawan

A sequela de Jedi Academy, mais uma vez cortesia do meu Jedi.

Roan Novachez começa o seu segundo ano na Jedi Academy, e este ano terá treino como piloto Jedi; para quem sempre quis ser um piloto, tudo parece apontar para o melhor ano escolar de sempre.
Mas não: desde a nova cozinheira que faz comida intragável a problemas com os amigos durante todo o ano a bullying na internet (numa versão do Facebook chamada Holobook) a, pior que tudo, não ser tão bom piloto como esperava, Roan começa a ter problemas sérios - graças a um trabalho de grupo, começa a dar-se com aqueles que, no ano anterior, o odiavam e foram votados como os mais prováveis de virar para o Dark Side.
Este ano lectivo parece ter passado mais rápido que o anterior, talvez por todas as aventuras, no meio das quais se passam mensagens positivas sobre amizade. É mais um livro inteligente e divertido, com meios de narrativa idênticos aos do primeiro livro; não só para crianças mas para todos os que andam ou já andaram no 8º a…

Tales of Mystery & the Macabre

A primeira de muitas reviews atrasadas.

Elizabeth Gaskell foi uma das primeiras autoras sobre quem escrevi, nos primórdios deste blog; Wives and Daughters deixou-me imensamente curiosa, e comprei mais uns quantos Wordsworth, tendo recomeçado a leitura da obra desta autora vitoriana com esta colecção de histórias, por sugestão do meu grande amor.
Como todas as colecções de histórias, há aqui altos e baixos (sendo as últimas tremendamente baixas). Não são, de todo, histórias desprovidas de interesse ou mérito, mas o género não me parece ser o forte de Gaskell - destaco, porém, como curiosidade, que muitas das histórias foram encomendadas por Dickens para a revista em que trabalhava na altura.
Algumas das histórias são muito boas: The Nurse's Story, uma história de fantasmas; The Squire's Story, sobre um mistério realmente macabro; Lois the Witch, sobre os julgamentos de bruxas de Salem; e The Poor Clare, sobre a maldição lançada por uma velha irlandesa abandonada:
"(...) Ye…

awesome much

Tenho muitos, muitos posts para fazer para recuperar este pequeno hiato das férias, mas fica aqui uma primeira e (não muito) pequena ideia de uma óptima surpresa da AwesomeBooks.

Gostei do serviço, entrega rápida, tudo em muito bom estado ou pelo menos dentro do esperado tendo em conta o ano de publicação do livro, algumas capas não eram as esperadas - balanço muito positivo e recomendo vivamente a quem não se importar com livros em segunda mão (pelo que parece, muitas vezes nem lidos) ou com "surpresas" relativamente às capas.

this is a lesson in procrastionation

Entrei hoje de férias e queria partilhar a ambiciosa lista de leitura que elaborei para cerca de duas semanas. Não é obviamente exequível - mas quero partilhar para ver se algum dos meus poucos seguidores recomenda que eu priorize algum.



Les Trois Mousquetaires, de Alexandre DumasThe Thirty-Nine Steps, de John BuchanI Know Why the Caged Bird Sings, de Maya AngelouA mancha humana, de Philip RothA conspiração contra a América, de Philip RothDubliners, de James JoyceTrainspotting, de Irvine WelshBabbitt, de Sinclair LewisGone with the Wind, de Margaret MitchellEast of Eden, de John SteinbeckNorth and South, de Elizabeth GaskellA cor púrpura, de Alice WalkerMoby Dick, de Herman MelvilleFar From the Madding Crowd, de Thomas HardyDead Souls, de Nikolai GogolThe Awakening, de Kate ChopinCasa dos espíritos, de Isabel AllendeThérèse Raquin, de Émile ZolaThe Waves, de Virginia WoolfOliver Twist, de Charles DickensBleak House, de Charles DickensAgnes Grey, de Anne BrontëThe Idiot, de Fyodor Dost…

Much Ado About Nothing

Hey remember that time when I would only read Shakespeare?

Vá, reconheço sem vergonha o quão atrasado este post está.
Primeira comédia de Shakespeare que leio, e sinto que ficou um bocado aquém das outras peças que já li dele. Claudio apaixona-se por Hero (que sim, é um nome feminino) e o seu... chefe? Don Pedro, seduz a rapariga num baile de máscaras para Claudio, de modo a que este não tenha esse trabalho (começando logo com morais duvidosas). Claudio acha que Don Pedro quer ficar com Hero para ele, o que não se verifica; e marcam imediatamente casamento. Entretanto, Don John, irmão bastardo de Don Pedro, decide, sem motivo aparente algum, destruir o casamento de ambos e inventa rumores acerca de Hero ser promíscua. Claudio acredita prontamente e decide acabar com ela durante a cerimónia de casamento.

Hero desmaia; Claudio vai embora; o pai dela, Leonato, procura saber como defender a sua honra; o padre acha por bem que Hero finja a sua morte enquanto limpam o seu nome e, pela prime…