Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Março, 2016

La Fin de la Jalousie

Proust para quem não se quer comprometer em buscas do tempo perdido.

Curto conjunto de contos sobre prazeres humanos e o quão mundanos e destrutivos podem ser. Histórias sobre traições, adultério real ou imaginado, sobre o possivelmente mais escabroso do dia a dia.
 - On peut ce qu’on veut, dit Violante.  - Mais vous ne voudrez peut-être plus la même chose, dit Augustin.  - Pourquoi? demanda Violante.  - Parce que vous aurez changé, dit Augustin.
Em Violante ou la Mondanité é abordada exactamente essa questão, a dos prazeres mundanos que nos destroem.
Parce que je plairais moins avec des préoccupations qui, par leur supériorité même, sont antipathiques et incompréhensibles aux personnes qui vivent dans le monde, répondit Violante. Mais je m'ennuie, mon bon Augustin. Il vint la voir, lui expliqua pourquoi elle s'ennuyait:  - Votre goût pour la musique, pour la réflexion, pour la charité, pour la solitude, pour la campagne, ne s’exerce plus. Le succès vous occupe, le plaisir vous reti…

Jogos de Azar

Mais uma leitura curta antes de regressar ao colosso que é A Song of Ice and Fire.

José Cardoso Pires é um autor que, antes desta experiência, conhecia apenas de nome, pela Balada da Praia dos Cães que nunca li. Este é um pequeno livro de short stories, todas elas, segundo o autor, "histórias de desocupados".
Consigo ver uma clara influência do Hemingway nestes contos - o desencanto pela vida, o machismo (que aqui tem muito da sociedade portuguesa sob a ditadura). Não gosto particularmente dos contos do Hemingway, e não gostei da grande maioria destes. Dois ou três foram muito bons - já os outros causaram-me sensações que vão desde o aborrecimento (como em Carta a Garcia, logo a primeira) à repulsa total (Ritual dos Pequenos Vampiros, sobre como quatro amigos violam uma rapariga para que um deles possa acabar a relação com ela, horrível).
2.5/5

Esta obra parece ser impossível de encontrar à venda.

Seta Despedida

Esta edição foi comprada na Dejà Lu, uma livraria solidária em Cascais.

Maria Judite de Carvalho é possivelmente a melhor autora que descobri no espaço do último ano (e cuja obra é um bocadinho difícil de encontrar à venda).
Seta Despedida é mais um conjunto de contos sobre a vida e como, no fundo, não estamos tão acompanhados ou felizes  como podemos julgar, como podemos parecer. Tal como em Tanta Gente, Mariana, há tanta gente mas as personagens estão sozinhas, vivem vidas nas quais tudo falhou.

Chegou a comprar medicamentos, e a verificar se havia uísque por causa do Manuel, mas, em todo o caso, tirou uma garrafa e guardou-a no fundo do armário da cozinha. Era a receita Marylin. Enfim, durante anos acreditara-se nisso. Claro que havia outras hipóteses a considerar, encontradas, ao longo da vida, quase sempre em livros mas também na realidade: o comboio de Ana Karenine, o mar (ou seria um rio?) de Virginia Woolf.
(...)
Talvez mesmo sofresse, sofria sem dúvida, coitado. "Em que liv…

A Storm of Swords

Vou desde já deixar bem claro que you know nothing Jon Snow é a frase mais irritante e desnecessária de todos os tempos.

E espero que com o final deste livro, a frase desapareça também.
A Storm of Swords é um livro tão absurdamente grande que algumas edições (como a minha) dividiram a obra em duas metades, algo que o meu ombro direito agradece. A primeira parte do livro é muito muito lenta, mas é um bom build up para a segunda parte.

Quem tiver visto a série, que é o meu caso, não ficará surpreendido com alguns dos eventos deste livro; na verdade, muitos dos eventos mais marcantes da série até agora acontecem neste livro (a bem dizer, na segunda parte do mesmo, já que na primeira não acontece mesmo nada). Esses são:

1) O Red Wedding. Enquanto que o Red Wedding é consideravelmente mais macabro no livro, devido a detalhes e erm, sequelas que não aconteceram na série, não é tão marcante quando já se ficou de boca aberta durante meia hora a ver um episódio.

"Robb, listen to me. Once y…