Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Setembro, 2015

I never learn

Promoções da Wook, promoções da Fnac.


Jules et Jim

Após ter lido esta obra em inglês nos idos anos pré-blog (e ter visto o filme naquele que a pessoa mais incrível de sempre considera ter sido o nosso primeiro date!), veio a altura de o reler, desta feita na sua língua original.

Adorei o livro da primeira vez que o li, adorei-o agora (não posso dizer o mesmo do filme). Suscita todo o tipo de emoções nas suas poucas páginas, no seu pouco detalhe. É uma incrível homenagem aos lugares onde o amor nos leva, como nos pode destruir.
O ritmo da história é rápido, inconvencionalmente. O pouco que é partilhado alterna entre o mais banal e o mais profundo. É um reflexo honesto sobre o amor, a amizade, a vida. A vida é para ser experimentada, vivida, a vida é para celebrar.
Jules e Jim são melhores amigos, vivendo em Paris na Belle Époque. Partilham entre si os seus trabalhos e traduzem-nos (francês-alemão), partilham noites no café, partilham charutos - partilham mulheres. Jules, idealista e romântico. Jim, pragmático.
Das várias mulheres que …

Rapariga com Brinco de Pérola

Não sou a maior fã de ficção histórica, nem a maior conhecedora de arte, mas decidi dar uma chance a este livro.

Este livro tem como inspiração o quadro epónimo de Vermeer, pintor holandês do séc. XVII, sobre o qual se sabe pouco. O livro levou-me a investigar um pouco mais sobre o pintor, e por isso merece algum mérito. Conforme mencionado ao longo do livro, este quadro é algo atípico entre a obra de Vermeer, por se focar tanto na cara de alguém e não no cenário circundante, e talvez por isso se destaque entre os seus quadros. Este livro também se parece destacar entre a obra de Tracy Chevalier, talvez por um filme (que, adivinhem - nunca vi!) com a Scarlett Johansson.
Aqui é dada uma identidade à mulher retratada no quadro. Griet, uma jovem de dezasseis anos, entra abruptamente no mundo adulto sem qualquer protecção ou orientação quando vai para a casa dos Vermeers (o pintor, a sua mulher Catharina e os seus vários filhos, e a mãe desta) trabalhar como criada, após um acidente ter …

on blogging

Quando, há pouco mais de dois anos, criei este blog, o seu único intuito era o de ocupar mais o meu tempo e de poder partilhar um pouco melhor e mais abertamente com alguns amigos aquilo que andava a ler, e a minha opinião sobre os livros.


Também tinha como objectivo comprar menos livros - mas isso claramente não está a acontecer. E sim, James Joyce possivelmente significa que ensandeci.